Animações na 31ª Mostra de Cinema

Contos de Terramar

Sempre há sugestões do que as pessoas gostariam de ver mais nas próximas Mostras. Alguns gostariam de ver filmes de países mais distantes, outros que mais filmes premiados viessem, alguns gostariam de mais retrospectivas ou mais filmes americanos alternativos. Eu tenho uma lista imensa de coisas que gostaria de ver mais na próxima Mostra, começando por animações.

O cinema de animação aparece nas telas brasileiras de modo tímido. A maior parte do que vem, quando vem, são as grandes produções da Pixar e Dreamworks, às vezes uma animação japonesa ou francesas. Há também a imensa contribuição do festival anual de animação, o Anima Mundi, que infelizmente se restringe às duas grandes capitais e poucas sessões em mais algumas cidades.

Esse ano a 31ª Mostra Internacional de Cinema apresenta seis animações longas inéditas e dois filmes em que animação aparece presente de forma marcante. A organização da Mostra até criou uma entrada no site sobre esses filmes: Animando a Mostra. Alguns foram exibidos apenas nos primeiros dias, mas a maioria ainda terão sessões.

Ben X – A Fase Final (Ben X), filme belga dirigido por Nic Balthazar. O filme explora o universo dos jogos de realidade virtual, como “World of Warcraft”, os fatores que atraem cada vez mais jovens para eles e o isolamento social como resultado. Ben, o jovem que se aventura nesse universo de RPG virtual planeja um assassinato, mas cujos planos são interrompidos quando conhece uma jovem pelo jogo, e pela qual se apaixona.

Ben X – A Fase Final também inclui um exemplo de inovação tecnológica. É o primeiro filme em que um diretor trabalha no cyber-espaço com atores virtuais. No jogo de representação de papéis (RPG) ArchLord, da Codemasters, cenas foram filmadas on-line com vários jogadores fazendo tomadas inteiras com personagens virtuais, seguindo instruções dadas pelo diretor.

Haverá sessões para o filme nos dias 26, 27 e 28 de outubro.

Branca de Neve, Depois do Casamento

Branca de Neve, Depois do Casamento (Blanche-Neige, la suite): dirigido por Jean-Paul “Picha” Walravens, o filme apresenta as aventuras do casal Branca-de-Neve e príncipe encantado depois do casamento. Numa versão nada infantil, a história se passa nesse mundo encantado povoado de princesas em busca de seus príncipes, fadas madrinhas que desejam o marido de suas protegidas, criaturas mágicas dos contos de fadas, sete anões que nada tem de graciosos, ogros e criaturinhas adoráveis.

É o único filme da lista que vi e por isso posso dar meu parecer. O filme explora com bom humor os clichês de histórias infantis, distorcendo-as, assim como as imagens idílicas desse mundo mágico. Através de muitas referências a sexo, situações bizarras, distorções de personagens e canções a animação tenta extrair seu humor. Nem sempre consegue, devido a alguns exageros.

Cine Gibi – O Filme – Turma Da Mônica dirigido por José Márcio Nicolosi. O filme lançado em 2004 teve uma apresentação especial gratuita para o público no vão livre do MASP. No filme, Franjinha inventa uma máquina que transforma gibis em desenhos animados.

Contos de Terramar (Gedo senki) é o debut do filho de Goro Miyazaki, filho do grande animador japonês Hayao Miyazaki. O anime produzido pelos estúdios Ghibli, como os traços também mostram, conta a história do feiticeiro Ged, de seu amadurecimento e de seu domínio da magia. O filme foi comprado pelo Downtown, mas quem não quiser esperar o lançamento por vê-lo em sessões nos dias 26 e 28.

Garoto Cósmico é uma animação dirigida Alê Abreu para o público infantil. Cósmico, Luna e Maninho são crianças de um mundo futurista, onde as vidas são totalmente programadas. Certa noite, buscando mais pontos para obter um bônus na escola, os três se perdem no espaço e descobrem um universo infinito esquecido num pequeno circo.

O Ano do Peixe

O Ano do Peixe (Year of the Fish): produção americana independente dirigida por David Kaplan. É uma versão moderna de Cinderela, toda filmada no bairro nova-iorquino de Chinatown. A animação foi criada usando o método de rotoscopia, usada anteriormente em A Scanner Darkly, exibido na Mostra passada. Próxima exibição sábado dia 27 na Cinemateca.

Moebius Redux – A Vida em Imagens (Moebius Redux: A Life in Pictures) é uma das não-animações com animações apresentadas na 31ª Mostra. Dirigido por Hasko Baumann, o filme é um documentário sobre uma dos mais importantes e mais influentes artistas de quadrinhos da história, o francês Jean Giraud, também conhecido como Moebius. Através de entrevistas, imagens de seus quadrinhos surreais e trechos de filmes nos quais participou. Feito para TV, o documentário terá sua última exibição dia 30 de outubro no Reserva Cultural.

Persépolis (Persepolis), animação de Marjane Satrapi e Vincent Paronnaud baseada nas graphic novels de Satrapi de mesmo nome. Não há dúvida de que será a animação mais disputada da Mostra, e provavelmente um dos filmes mais concorridos também, devido ao sucesso de crítica e ao fato de ter ganho o prêmio do juri do Festival de Cannes. Persepolis conta a história da infância da própria Marjane durante a revolução cultural no Irã. O filme será apresentado dias 30 e 31 de outubro de 01 de novembro na Mostra, e será lançado pela Europa Filmes nas telas brasileiras.

Entradas relacionadas:

About Bibi