Dicas para a 33ª Mostra: 29/10

A 40ª Porta

Apesar de ontem ter assistido dois dos melhores filmes da 33ª Mostra Internacional de Cinema até agora –Brilho de uma Paixão e O Que Resta do Tempo, tive também uma desagradável surpresa na sessão do meio: projeção digital. Claro que, quando você não percebe que ela é digital, não há problema no suporte. Mas nesse caso a projeção estava bem ruim.

Para quem nunca presenciou uma dessas projeções durante a Mostra, e eu já vi o desprazer de estar em algumas, deixe-me dar uma idéia: volte no tempo e imagine que você gravou um filme em uma fita VHS de 2 horas com velocidade de 6 horas. Agora imagine que depois de alguns meses você resolveu assistir a esse filme. Que tal? O filme parece meio borrado, falta definição e as cores não ficam lá grande coisa. Pronto, isso foi mais ou menos a projeção que presenciei ontem para o filme A 40ª Porta.

O filme em si até que é interessante e bem feito, ainda mais se levarmos em conta que é um filme simples, sem muitos recursos, rodado no Azerbaijão. É uma história simples sobre um garoto que perde o pai, e para ajudar no sustento da casa parte em busca de um trabalho, mesmo contra a vontade da mãe. Nada mirabolante, com locações simples, atuações sólidas e o mais o importante, convence.

Mas voltando ao caso da projeção digital, o problema anda tão sério, e incomodando tanto, que criaram uma petição: Carta Aberta Aos Responsáveis Pela Projeção Digital No Brasil. Não há como lutar contra a tecnologia, e exigir unicamente projeções em 35mm. E em alguns casos o digital é o único suporte disponível para exibição de um filme. A petição não vem lutar contra isso, vem solicitar projeções digitais de qualidade. Eu realmente acho um desrespeito cobrarem o preço normal de uma sala e projetarem o filme em baixa qualidade. Prejudica até a percepção do filme. Portanto, se ainda não assinou, vá lá dar uma olhada no texto e assine a petição, por favor.

Agora voltando ao programa da Mostra, hoje nada me animou muito na programação do Festival da Juventude. Dos programados para hoje, vi apenas um, Espiral, de Jorge Pérez Solano. Achei o filme fraco, com algumas atuações regulares, e com esteriótipos demais para o meu gosto. As sessões são para estudantes, mas eu já vi alguma delas anos atrás, pois quando sobram lugares, é permitida a entrada do público em geral.

A Mulher do Lado

Para os fãs do cinema francês eu sugiro A Mulher Do Lado (La Femme D’à Côté) como um dos imperdíveis dessa Mostra. É um dos últimos filmes de François Truffaut, e faz parte da retrospectiva em homagem a Fanny Ardant. A musa do cinema francês estará no Brasil durante o festival apresentando seu filme de estréia na direção Cendres et Sang. Mas por favor desconfie do meu imperdível: para mim todos os filmes de Truffaut são fantásticos.

Se prefere uma programação gratuita, hoje é seu dia de sorte. A programação da Mostra na Matilha Cultural terá dois belos filmes do diretor grego Theo Angelopoulos em sequência: Paisagem na Neblina (Topio Stin Omichli) e O Passo Suspenso Da Cegonha (To Meteoro Vima Tou Pelargou). É bom chegar antes, porque a sala dispõe de apenas 68 lugares.

Apesar da programação em geral hoje não estar assim tão animadora, há duas sessões com ótimos filmes seguidas de debates, e infelizmente as duas são quase no mesmo horário. Você pode escolher entre assistir ao romeno Polícia, Adjetivo no Unibanco Arteplex 2 às 19h30, seguida de debate com o diretor Corneliu Porumboiu.

Ou ver (rever?) sueco Deixa Ela Entrar na FAAP às 19h, seguido de Master Class com o diretor Tomas Alfredson. Se for para a FAAP, aproveite e chegue antes para conferir o novo filme de Takeshi Kitano, Aquiles e Tartaruga. Lembrando que para as sessões da FAAP é preciso retirar senha com 1 hora de antecedência,  a preferência é dada aos alunos.

Vencer (Vincere)

Um aviso: hoje é o último dia para se inscrever para as oficinas com Christian Berger, aberta para profissionais do cinema. Berger foi o diretor de fotografia dos últimos filmes do diretor austríaco Michael Haneke, incluindo o ganhador da Palma de Ouro desse ano A Fita Branca.

E um último lembrete: mais dois filmes entrarão na programação Online da 33ª Mostra Internacional de Cinema no site The Auteurs : o italiano Vencer (Vincere), de Marco Bellocchio e o brasileiro Reidy, A Construção da Utopia (Reidy, Building Utopia), de Ana Maria Magalhães. Vale lembrar também que vários dos filmes que compõem essa programação ainda estão disponíveis para assistir online. Ótima opção para quem perdeu um ou outro e não poderá assistir durante o festival.

Outras sugestões de filmes para hoje, 29 de outubro:

35 Doses de Rum (35 Shots of Rum), de Claire Denis

A Todo Volume (It Might Get Loud),de Davis Guggenheim

A Town Called Panic (Panique Au Village), de Stéphane Aubier

Amanhã ao Amanhecer (Demain, Dès L’Aube), de Denis Dercourt

Ervas Daninhas (Les Herbes Folles), de Alain Resnais

Irene (Irene), de Alain Cavalier

O Apedrejamento de Soraya M. (The Stoning Of Soraya M), de Cyrus Nowraste

Patrick, Idade 1,5 (Patrick 1,5), de Ella Lemhagen

Seguindo em Frente (Aruitemo Aruitemo), de Hirokazu Kore-Eda

Videocracy (Videocracy), de Erik Gandini

About Bibi