The End. Fim. Fin. Fine. Slut.

Afgrunden - Slut

Não se fazem mais finais de filmes como antigamente. Explicando-me melhor, a expressão de “The End”, o “Fim”, não aparece mais com o mesmo glamour de antes. Hoje, depois de alguns minutos de créditos, que incluem desde os atores principais, aos auxiliares dos auxiliares que guardam o figurino, é que o “Fim” finalmente dá as caras. É a última coisa, e no cinema quase ninguém fica para ver (eu quase sempre fico).

Nos tempos áureos de Hollywood o “The End” aparecia emblemático, como uma bandeira, e algumas vezes até tremulante. A expressão era quase tão poderosa visualmente quanto a imagem do título do filme. Hoje em dia é um apenas um detalhe, isso quando aparece. Parte culpa nossa, já não mais precisamos de avisos para mostrar que o filme terminou. Parte culpa da lista de créditos, que mostra que nada mais está por vir.

Em homenagem ao poder imagético que o “Fim” teve e continua tendo, o usuário do Flickr Tom Djll criou o grupo The End. A grupo é aberto e todos podem participar enviando uma imagem do “Fim”. Eu já fiz duas contribuições com imagens de filmes que estão disponíveis no Google Vídeo: a primeira, acima, do filme dinamarquês O Abismo, com uma das grandes atrizes da era muda, Asta Nielsen. E, os títulos em russo abaixo, de A Linha Geral, dirigido por um dos maiores gênios do cinema, Serguei Eisenstein.

Fim de Staroye i novoye

A propósito, a palavra “fim” em dinamarquês e sueco parecem ser escritas da mesma maneira: “Slut”. E não por acaso é a minha palavra favorita para “fim” em um filme.

About Bibi