Filmes B no AMC

B-Movies no AMC

Estou para conhecer um cinéfilo que não goste de filmes B. Se não gosta de pelo menos um, é porque não gosta ou não conhece a história do cinema. Classificados em geral como ruins, os filmes B são nada mais nada menos do que filmes de baixo orçamento. Malditos e mal vistos durante anos, esses filmes mais simples, nem sempre tinham o resultado mais tosco, como é de se imaginar, ainda mais se compararmos com as bombas milionárias que tem sido feitas nos últimos anos.

Muitas vezes renegados ao esquecimento, vários filmes-B acabaram ganharam o status de cult com o passar dos anos. Tiveram remakes, ganharam homenagens em festivais, foram usados como teses, viraram favoritos entre muitos cinéfilos, e acabaram sendo a inspiração de muitos cineastas consagrados (Tarantino que o diga).

Os filmes-B tiveram seu auge durante os anos trinta e quarenta através dos seriados exibidos antes dos filmes principais, por assim dizer. Em sua maioria eram séries de faroeste, ficção científica, ação e suspense, já que a idéia principal era manter a tensão no final de cada um dos curtos episódios, para fazer o público retornar na semana seguinte para conferir o desfecho. Vale lembrar que é também na década de 30 foram realizados vários clássicos longas do cinema de terror.

Gun Crazy

Peggy Cummins e John Dall em Gun Crazy

Na década de 40 surgem os meus filmes-B preferidos: os Filmes noir. Cheios de estilo, com sombras pronunciadas, femmes fatales, investigadores, mistério e baseados em livros Pulp de suspense, os filmes noir continuam sendo um dos movimentos mais elegantes da história do cinema para mim. Ainda que repletos de personagens inescrupulosos, a fotografia e o desenvolvimento fazem com que tudo pareça bonito naquele majestoso mundo em preto e branco. A morte neles é mais bonita, as mulheres sem caráter alguns são sempre maravilhosas, e não importa quão baixo chegam os personagens, porque o enquadramento deixa tudo perfeito.

Os noir deram tão certo que continuaram a ganhar as telas ao longo das décadas. Os grandes estúdios começaram a fazer suas versões de filmes noir ainda na década de 40, e hoje há ótimos exemplos de neo-noir.Muitas vezes coloridos, mantiveram a fotografia elegante, as femmes fatales e o mistério em torno de seus personagens, que vão perdendo a inocência ao longo do filme. Para saber mais sobre eles confiram o blog Film Noir of the Week, o podcast Out of the Past: Investigating Film Noir, e os posts Film Noir Illustrations, Out of the Past: podcast e Os cartazes franceses do cinema noir americano.

Nos anos 50 as séries vão perdendo o impacto, devido a força que a televisão ganha. E filmes-B se estabelecem como longas desses gêneros populares, muitas vezes em versões 3D. Entre as produções ganharam força também os sexploitation, que já eram realizados desde a década de 30, vide Reefer Madness e Sex Madness. Esses filmes exploravam o tema sexo das mais diferentes maneiras, e absurdas devo dizer. Eles vinham até em forma de documentários, usando a desculpa de educativos para mostrar moças, e em alguns casos rapazes, com poucas roupas. Não é necessário dizer que faziam um bocado de sucesso no circuito mais alternativo.

Também nos anos 50 despontaram os clássicos do cinema B: aliens, monstros d’além mar, criaturas mutantes, vampiros, homems e mulheres sanguinários, loucos de todos os tipos, filmes com experiências laboratorias mal sucedidas, com pessoas que aumentam ou encolhem e até zumbis, mas não apresentados com esse nome. É nessa década que surge o rei dos filmes-B: Roger Corman. Corman continua sendo até hoje uma referência para quem gosta de cinema de ficção científica ou terror.

Not of This Earth (1957)

Not of This Earth (1957) de Roger Corman

Os filme-B não morreram, e continuam sendo feitos em todos os cantos. Aqui no Brazil ainda temos o Zé do Caixão na ativa, tínhamos Afonso Brazza e mais uma série de outros pequenos realizadores. Hoje em dia filmes de baixo orçamento acabam sendo chamados de alternativos, indie pelos americanos, e filmes-B aqueles cujo roteiro e a produção deixam a desejar. O melhor exemplo ( não exatamente em qualidade) de estúdio especializado em filmes B que eu consigo lembrar agora é a Troma, que de um certo modo continua firme e forte.

Bom, tudo isso era para dizer que o site AMC tem uma bela seleção de filmes-B online na sessão B-Movies. E o melhor é que todos podem ser assitidos online por nós brasileiros (coisa que não acontece em sites como Hulu e Veoh). Ótima dica para quem já explorou todo o arquivo de filmes-B no Internet Archive. Claro que o AMC tem vários filmes que estão disponíveis no Archive há algum tempo, mas  tem também algumas outras pérolas. O arquivo deles não é lá muito grande, mas já garante vários dias de diversão.

Navegue através das categorias ação/aventura, comédia, crime/suspense, terror, ficção científica e faroeste, escolha o título que mais te atrai, porque há vários títulos ótimos, e embarque na diversão.Minhas sugestões para começar: Carnival of Souls e Dark Star de John Carpenter. Aproveite e assista essa comédia de ficção científica logo abaixo.

Para saber mais sobre filmes-B, eu sugiro uma leitura rápida e e agradável, A Outra Face de Hollywood: Filme B de A. C. Gomes de Mattos. Li esse livro há alguns anos e gostei bastante. O autor fez uma bela pesquisa e soube condensar, criando uma bela introdução a esse tipo de filme. No final do livro ele lista as séries e alguns dos filmes produzidos entre as décadas de 30 a 50.

About Bibi